A Verdade Sobre o Treinamento de Força para Crianças

0 Flares Filament.io 0 Flares ×
Por:
Prof. Fabricio Fouraux
Pós-graduado em Anatomia Humana, Biomecânica e Medicina Desportiva.
Mestrado em Bioética e Direitos da Saúde.
 
Sempre na academia por mais que tenhamos crianças malhando, surge o questionamento. Mas ele parece tão novinho para malhar, pode isso? A resposta é depende do que ele irá fazer e para isso temos avaliação e um profissional especializado neste tipo de grupo para prescrever seus exercícios.
O PROBLEMA NÃO É O PESO QUE É COLOCADO, mas sim a forma que é feito, na figura acima representa um exercício altamente compressivo, que uma criança nunca pode executar.
Um tempo atrás, participei do programa da Penha Acioly para falar sobre o tema treinamento físico para crianças obesas e desenvolvimento fisiológico do adolescente. Estava no mesmo um Médico Pediatra, um Psicólogo e uma Nutricionista.
Na oportunidade estávamos esclarecendo que para se treinar uma criança devemos trata-la como tal e não achar que é um adulto em miniatura. Devemos respeitar a sua maturação que acontece por volta dos 16 anos nas mulheres e 18 anos nos homens.
Muitas pessoas por desconhecimento ou excesso de zelo acabam tendo uma opinião errada sobre a musculação para crianças e adolescentes. Este tipo de treinamento de resistência não só é seguro para as crianças, como também benéfico. Em um comentário tirado de um ártico científico demonstra que:
  • A pesquisa atual indica que o treinamento de resistência pode ser uma atividade segura, eficaz e interessante para crianças e adolescentes, desde que profissionais QUALIFICADOS SUPERVISIONEM TODAS AS SESSÕES do treinamento e fornecer idade apropriada instrução sobre procedimentos de elevação adequada e diretriz de treinamento de segurança. Participação regular em um programa multifacetado de treinamento de resistência que começa durante a pré-temporada e inclui instruções sobre a biomecânica do movimento pode reduzir o risco de lesões relacionadas com esportes em jovens atletas.
O grande problema é que nem sempre o Profissional mesmo formado em Educação Física, tem especializações para trabalhar com grupos especiais, infelizmente negligenciando totalmente os cuidados básicos que devemos ter.
 
Então devemos sim ter cuidados especiais ao colocar nossas crianças para fazer qualquer tipo de trabalho, não devemos simplesmente negligenciar suas características e trata-los como adultos em miniaturas.
 
Erros podem custar desde problemas na coluna, lesões articulares, musculares, problemas com capacidade respiratória, sobrecarga no sistema circulatório e principalmente o mais temido pelos mais a consolidação da epífise óssea.
 

Observe como é a constituição óssea quando a epífise ainda não está calcificada. Na figura acima em azul são representadas as cartilagens das epífises, e em amarelo o osso.
 Como ocorre o crescimento?

  1. Multiplicação de células-fonte do tecido ósseo.

 

  • Transformação de células-fonte em osteoblastos.

 

 

  • Osteoblastos (que sempre se situam na superfície do osso) produzem e secretam matriz óssea (rica em colágeno e outras proteínas).

 

 

  • Nova matriz óssea é mineralizada.

 

 

  • Osteoblasto acaba sendo envolvido pela nova matriz, fica no interior de uma lacuna e passa a ser um osteócito.

 

 

  • Nova camada de osteoblastos se coloca na superfície do osso recém-formado, secreta matriz óssea e assim por diante o processo se repete acrescentando camada por camada ao osso.

 

A representação na figura acima o primeiro osso é normal com a epífise intacta. Quando o mesmo recebe compressão (representado pelo segundo osso), devido a cartilagem não ser rígida como o osso, a mesma irá diminuindo de tamanho até que um lado cole no outro (representado pelo terceiro osso)

 

 

 

 

, sendo assim soldando um com o outro e fazendo que o crescimento desse osso pare. Mas preste ATENÇÃO, esse processo não é somente restrito a musculação ou exercícios contra resistência mal orientado, mas de todas as atividades com as crianças e adolescentes.

Por exemplo, um pai por orientação coloca seu filho para jogar vôlei para que faça uma atividade física e perca peso com segurança. Mas infelizmente seu treinamento é voltado para o alto rendimento, competição e resultados. Então acontece o erro clássico treinar a criança como fosse um adulto, levando seu sistema circulatório, respiratório e esquelético ao máximo. Temos que ter em mente que a criança e o adolescente é um ser humano em desenvolvimento e cada estimulo que irá receber vai adaptá-lo positiva ou negativamente para o futuro. Esquecemos sempre que lutamos contra uma força compressiva importante, a da gravidade que é 9,80665 m/s². Toda vez que a criança realiza um salto ela vence esta força, mas o impacto no chão irá acontecer com esse valor multiplicado pelo seu peso. Desta forma quanto mais saltar treinando irá impactar sua coluna, articulações e principalmente a epífise óssea contribuindo para lesões e parada do crescimento.
Desta forma não é somente a musculação com orientação errada que se torna lesiva, mas sim todos os esportes que possuem impactos se os mesmos não forem desenvolvidos para os limites das nossas crianças.
Procure sempre conversar com o profissional que irá trabalhar com seu filho, veja se o mesmo tem condições técnicas para estar trabalhando com esse grupo, acompanhe os treinamentos e continue sendo crítico e questionador.
Não quero aqui fazer uma crítica a ninguém, mas sim informar com base científica para que através do conhecimento as pessoas possam ter mais saúde, ficando claro que o que lesiona ou faz o processo de crescimento parar não é a atividade em si, mas a forma com que ela é ministrada.
 
COLOQUE SEU CORPO NO LUGAR CERTO!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0 Flares Google+ 0 Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta